27 de outubro de 2008

Tribunal condena Rio de Janeiro a pagar indenização por falha em operação policial.

A Polícia fez 'caca'. Adivinha quem vai limpar?

Semana passada eu postei uma matéria a respeito de uma decisão do TJRJ que acabou por condenar o Estado do Rio de Janeiro a indenizar a empresa Rio Ita pelos ônibus queimados no dia do "medo", como ficou conhecido o dia em que bandidos de dentro do Presídio Bangu I providenciaram o caos do lado de fora das grades.

Na mesma matéria expressei meu inconformismo e minha revolta com esse tipo de situação, pois quem paga a indenização é o mesmo povo que sofre com a falta de segurança. A conta sempre cai na mão do cidadão, que paga através de seus impostos.

Essa semana saiu outra sentença, do mesmo TJRJ agora condenando o Estado por falha em uma operação policial. Valor da indenização? "Modestos" R$ 30.000,00. que todos nós pagaremos a Alan Nogueira e Rita de Cássia Nogueira, moradores do bairro de Ramos. Eles perderam o seu apartamento e tudo que estava dentro dele, depois de um confronto entre a polícia e os traficantes.


Segundo o processo, em 2004, policiais utilizaram o prédio como base para observar e combater o movimento do tráfico no Morro do Adeus e depois de um tiroteio que acabou matando 2 traficantes, abandonaram o prédio. Não é de se estranhar que os traficantes, revoltados com as mortes, invadiram o prédio e expulsaram todos os moradores, fato que foi comunicado à polícia.

Quem ousar dizer que a polícia não fez nada.... ACERTOU. Resultado? Os apartamentos foram furtados e depredados por 35 meliantes enraivecidos, inclusive o do casal que ingressou na justiça.

Não digo aqui que o casal está errado. NÃO. Eles estão cobertos de razão em procurar ressarcimento devido a omissão do Estado. Aliás essa é a minha bandeira nos casos consumeristas: comprou um rádio a pilha e foi sacaneado? Busque seus direitos no JEC mesmo que o bem tenha um valor irrisório. Nesses casos o abarrotamento do Judiciário é justificado pois tem o poder de causar uma verdadeira revolução na mentalidade dos empresários e prestadores de serviços. Uma pessoa reclamando não faz com que uma empresa mude, mas uma leva de consumidores inconformados, mesmo que por compras de R$ 30, pode alterar o placar do jogo. É o famoso "desestímulo".

Poderíamos teoricamente aplicar o mesmo princípio nos casos de omissão do Estado. Apenas teoricamente. O fato é que o dinheiro do Estado é o nosso dinheiro pago em impostos, e portanto, quem paga por mais essa "cagada" estatal somos nós, cidadãos fluminenses. Os governantes não vão mudar sua atitude leniente pois o dinheiro vai sair do meu bolso, do seu bolso, e não do deles.

O Estado fez "caca". A polícia fez "caca". O cidadão fluminense agora, a despeito de também ser vítima diária da mesma insegurança que vitimou o casal indenizado, que limpe a sujeira, ORAS! É o preço que pagamos pela nossa infindável incapacidade de escolher melhor nossos governantes.

3 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente, devemos pagar. O governo quer por uma razão ou outra teve nosso aval para se estabelecer. Se ele erra, todos pagamos a conta. Esse é um dos males que as pessoas desconhecem.

Por essas e outras razões o voto é tão importante. Se o governo aplicasse corretamente a polícia e o dinheiro dos impostos; situações como estas seriam muito difíceis de acontecer.

As indenizações foram justas; porém ainda de baixo valor.

Acho que a situação só se resolveria se os ocupantes do poder na época dessas "cagadas" fossem responsabilizados também. Afinal de contas, em última análise, eles foram os responsáveis diretos.

Da mesma forma acho que uma lei prevendo que o partido político pague pelos recursos desviados por seus filiados seria a solução para a péssima escolha de nomes que rola por aqui.

O que você acha?

Arthurius Maximus disse...

O "anônimo" aí de cima sou eu. A "caca" agora foi minha (rs)..

Dmitry disse...

Realmente o corporativismo evita que os verdadeiros culpados pelo problema sejam punidos. Só pagar indenização não é suficiente, porque assim os comandantes que ordenaram a caca continuam fazendo a mmesma m****.

O voto é importante, mas pelo menos aqui em Salvador ele se mostrou inútil. O que ganhou a campanha aqui foram músicas repetitivas e denuncismo. Deixando vivo o legado político de ACM nas mãos de seus antigos adversários.