3 de janeiro de 2009

Novas regras ortográficas

Novas regras para o velho "portuga".

Todo advogado tem lá seu acervo de petições. Ao longo de minha carreira (que considero ainda curta) colecionei várias. Calma leitor, não se trata de plágio. Quando se cruza com um Ives Gandra ou quando se obtém algum acórdão memorável no Tribunal o advogado deve guardar consigo. É fonte de estudo e principalmente de modelo. Algumas decisões de relatores são verdadeiros compêndios de direito e merecem ser citados e transcritos.


Mas não coleciono apenas as grandes decisões e petições com as quais cruzei pelo caminho: também tenho um considerável acervo de "pérolas" de advogados e juízes. Você pode achar que advogado que é advogado escreve direito, mas nem sempre é verdade. "Excessão", "geito", "enfringente", "prossesso", "passificamente", "usucapiau" (não estou brincando!), "emquepézio (???? leia-se em que pese).

Confesso que já tive vontade de publicar esse pequeno acervo aqui no blog, mas a minha profissão já está tão decadente que não quero contribuir ainda mais para sua ruina. Deixo essa triste missão aos advogados corruptos, desonestos e porque não, para aqueles que não têm o devido respeito/cuidado com a língua pátria. Isso mesmo leitor! Advogado que não tem o cuidado de escrever corretamente também colabora para a derrocada da Advocacia como um todo. Errar definitivamente é humano, mas nós advogados devemos ao menos nos esforçar pela correção da escrita e da fala.

Sem mais delongas, achei interessante postar as novas regras ortográficas promulgadas no Decreto 6.583/08 e que estão valendo desde o primeiro dia do ano de 2009. Entre as principais mudanças estão o fim (finalmente) do trema, novas regras de acetuação bem como utilização do hífen. O alfabeto ainda ganha as letras K, W e Y.

Não precisa entrar em desespero, caro leitor preocupado: o modo antigo de escrever ainda vale até 2012. É o denominado período de transição para a adaptação às novas regras que também passam a valer em Portugal.

Cá entre nós, uma verdadeira perda de tempo. O próprio Presidente Molusto é que deve ter influenciado "pessoalmente" em algumas mudanças, já que não é lá muito letrado. Em um país onde você já virou vc há muito tempo e a língua é diariamente assassinada a sangue frio até mesmo em matérias de jornais tidos como "modelos", não creio que as novas regras farão tanta diferença. Há muito que o brasileiro não se preocupa mais com o português e o mixuguês está virando regra (se duvidas, dê uma olhada nos foruns, blogs, etc, que pipocam diariamente na internet). Quanto ao trema.... ninguém usava isso mesmo, oras!


Mais abaixo você poderá conferir as novas regras em detalhes, mas RESUMINDO tenha em mente:


  • Freqüente, lingüiça, agüentar VIRAM Frequente, linguiça, aguentar

  • Européia, idéia, heróico, apóio, bóia, asteróide, Coréia, estréia, jóia, platéia, paranóia, jibóia, assembléia VIRAM Europeia, ideia, heroico, apoio, boia, asteroide, Coreia, estreia, joia, plateia, paranoia, jiboia, assembleia. Herói, papéis, troféu mantêm o acento.

  • Baiúca, bocaiúva, feiúra VIRAM Baiuca, bocaiuva, feiura

  • Crêem, êem, lêem, vêem, prevêem, vôo, enjôos VIRAM creem, deem, leem, veem, preveem, voo,

  • Pára, péla, pêlo, pólo, pêra, côa AGORA SE ESCREVEM Para, pela, pelo, polo, pera, coa
    Permanece o acento diferencial em pôde/pode.

Divirtam-se!


NOVAS REGRAS:

HÍFEN
Não se usará mais:

1. quando o segundo elemento começa com s ou r, devendo estas consoantes ser duplicadas, como em "antirreligioso", "antissemita", "contrarregra", "infrassom".
Exceção: será mantido o hífen quando os prefixos terminam com r -ou seja, "hiper-", "inter-" e "super-"- como em "hiper-requintado", "inter-resistente" e "super-revista"2. quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente. Exemplos: "extraescolar", "aeroespacial", "autoestrada"

TREMA
Deixará de existir, a não ser em nomes próprios e seus derivados

ACENTO DIFERENCIAL

Não se usará mais para diferenciar:

1. "pára" (flexão do verbo parar) de "para" (preposição)

2. "péla" (flexão do verbo pelar) de "pela" (combinação da preposição com o artigo)

3. "pólo" (substantivo) de "polo" (combinação antiga e popular de "por" e "lo")

4. "pélo" (flexão do verbo pelar), "pêlo" (substantivo) e "pelo" (combinação da preposição com o artigo)

5. "pêra" (substantivo - fruta), "péra" (substantivo arcaico - pedra) e "pera" (preposição arcaica)

ALFABETO

Passará a ter 26 letras, ao incorporar as letras "k", "w" e "y"


ACENTO CIRCUNFLEXO

Não se usará mais:1. nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos "crer", "dar", "ler", "ver" e seus derivados. A grafia correta será "creem", "deem", "leem" e "veem"

2. em palavras terminados em hiato "oo", como "enjôo" ou "vôo" -que se tornam "enjoo" e "voo"

ACENTO AGUDO

Não se usará mais:

1. nos ditongos abertos "ei" e "oi" de palavras paroxítonas, como "assembléia", "idéia", "heróica" e "jibóia"
2. nas palavras paroxítonas, com "i" e "u" tônicos, quando precedidos de ditongo. Exemplos: "feiúra" e "baiúca" passam a ser grafadas "feiura" e "baiuca"

3. nas formas verbais que têm o acento
tônico na raiz, com "u" tônico precedido de "g" ou "q" e seguido de "e" ou "i".
Com isso, algumas poucas formas de verbos, como averigúe (averiguar), apazigúe
(apaziguar) e argúem (arg(ü/u)ir), passam a ser grafadas averigue, apazigue,
arguem


Nenhum comentário: