11 de setembro de 2008

Marta Suplicy proibida de usar computação gráfica em sua campanha



Defeitos especiais: A revanche!!!


Marta Suplici, candidata a Prefeitura de São Paulo está obrigada a deixar de utilizar computação gráfica em sua propaganda eleitoral. A ordem veio do juiz Marco Antônio Martin Vargas, juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, em liminar concedida em processo movido por Gilberto Kassab (DEM) e sua coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM, PMDB, PR, PV, PSC E PRP).


Segundo o juiz, na propaganda há “recurso técnico e computação gráfica com placas em movimento, na transição de imagem e rotação de quadros de vídeos”, o que dá para constatar facilmente no vídeo e realmente a legislação eleitoral proíbe a utilização de computação gráfica ou efeitos especiais nas propagandas.

Agora ambos estão proibidos de utilizar computação gráfica em suas campanhas. Gilberto Kassab já havia sido proibido de utilizar efeitos especiais em sua campanha, através de liminar concedida no dia 08/09/08 pelo juiz da mesma zona Eleitoral em processo iniciado por... MARTA SUPLICY.

Agora, que deixem a computação gráfica e os efeitos especiais para o Hans Donner e as vinhetas da Globo, mesmo porque no final das contas o verdadeiro "defeito especial" que parece ser especialidade dos prefeitos de São Paulo é manter a cidade em caos ao mesmo tempo que fazem sumir o dinheiro da maior arrecadação de impostos no Brasil.

2 comentários:

Dmitry disse...

O maior problema na minha opinião é a quantidade de dinheiro que se gasta em uma campanha.

Basta ver este vídeo que você anexou para saber que a campanha do PT em SP está torrando muito dinheiro. Mas isso não se limita ao ParTido, existem vários que também gastam demais.

Acho que se deveria estipular um teto para gastos de campanha, assim a campanha do candidato principal (com maior poder aquisitivo) não seria tão distante do candidato com menor poder aquisitivo.

Uma campanha que gaste muito também levanta questionamentos sobre a quem o candidato deverá favores no futuro.

Arthurius Maximus disse...

A propaganda eleitoral deveria ser apenas com o candidato propondo seu plano de serviços e comentando suas realizações.

Armam um show que na realidade nunca vai se concretizar apenas para iludir a população menos atenta.